Novena à Virgem da Ternura – 6º dia

As bodas de Caná

Oração de invocação ao Espírito Santo –   Veni, creator

Oh vinde, Espírito Criador, as nossas almas visitai. E enchei os nossos corações com vossos dons celestiais. Vós sois chamados o Intercessor, do Deus excelso o dom sem par, A fonte viva, o fogo, o amor, a unção divina e salutar. Sois doador dos sete dons. E sois poder na mão do Pai, por ele prometido a nós, Por nós seus feitos proclamais. A nossa mente iluminai, os corações enchei de amor. Nossa fraqueza encorajai, qual força eterna e protetor. Nosso inimigo repeli. E concedei-nos vossa paz; Se pela graça nos guiais, o mal deixamos para trás. Ao Pai e ao Filho salvador por vós possamos conhecer, que procedeis do seu amor. Fazei-nos sempre firmes crer. Nosso inimigo repeli. E concedei-nos vossa paz; Se pela graça nos guiais, o mal deixamos para trás.

Leitura – João 2, 1-12 (as Bodas de Caná)

As núpcias de Caná – “No terceiro dia, houve um casamento em Caná da Galileia e a mãe de Jesus estava lá. Jesus foi convidado para o casamento e seus discípulos também. Ora, não havia mais vinho, pois o vinho do casamento havia acabado. Então a mãe de Jesus lhe disse: “Eles não têm mais vinho”. Respondeu-lhe Jesus: Que queres de mim, mulher? Minha hora ainda não chegou”. 5Sua mãe disse aos serventes: “Fazei tudo o que ele vos disser”. 6Havia ali seis talhas de pedra para a purificação dos judeus, cada uma contendo de duas a três medidas. 7Jesus lhes disse: “Enchei as talhas de água”. Eles as encheram até à borda. 8Então lhes disse: “Tirai agora e levai ao mestre-sala”. Eles levaram.9Quando o mestre-sala provou a água transformada em vinho — ele não sabia de onde vinha, mas o sabiam os serventes que haviam retirado a água — chamou o noivo 10e lhe disse: “Todo homem serve primeiro o vinho bom e, quando os convidados já estão embriagados serve o inferior. Tu guardaste o vinho bom até agora!” 11Esse princípio dos sinais, Jesus o fez em Caná da Galileia e manifestou a sua glória e os seus discípulos creram nele. 12Depois disso, desceram a Cafarnaum, ele, sua mãe, seus irmãos e seus discípulos, e ali ficaram apenas alguns dias”.

Meditação

Eles não têm mais vinho” (Jo2,3). Esta afirmação da Virgem Maria se enquadra nas diversas situações em que a graça de Deus e a vida nova trazida por Cristo estão faltando. São nessas situações que a Virgem Maria pede ao seu Filho o vinho novo para cada um de nós, e também nos aponta o caminho da vida nova, quando diz aos servos: “fazei tudo o que ele vos disser” (Jo2,5).

A Virgem Maria, muito mais do que pedir a Jesus por várias situações de necessidades especificas das contingências da nossa existência, nos introduz no cerne da nossa relação com Jesus para podemos viver uma vida de profunda intimidade com Ele.

(se a novena for feita pessoalmente, faça um momento de silêncio para meditar; se for feita em grupo, é o momento para a partilha).

Oração do dia:

Ó Virgem da Ternura, tu que antecipaste a hora de Jesus nas Bodas de Caná, pede a Jesus que vivamos a graça de uma vida nova, de um nascer de novo, para que, superando nossas fraquezas e pecados, possamos em tudo fazer a vontade do teu amado Filho Jesus. Amém.

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo…

 

Consagração à Virgem da Ternura

Consagro-me a ti, ó Virgem da Ternura, tu que és a amada filha de Deus Pai, obediente esposa do Espírito Santo e mãe amorosa de Jesus. A tua íntima relação com a Trindade santa te transfigurou num grau de beleza, doçura e ternura jamais alcançados por nenhuma outra criatura do céu ou da terra.

Ó Virgem da Ternura, tu que és bela, atrai meus sentidos, afetos e faculdades para Jesus para que assim eu possa conhecê-Lo como “Caminho, Verdade e Vida”.

Ó Virgem da Ternura, tu que foste plenamente dócil a Deus, ensina-me o caminho da obediência ao teu Filho Jesus, para que eu possa dizer como São Pedro: “a quem iremos, só tu tens palavras de vida eterna”.

Ó Virgem da Ternura, tu que, ao conviver íntima e profundamente com teu Filho Jesus, te tornaste toda terna, ensina-me o caminho da intimidade com Ele, para que eu também possa dizer como São Paulo: “já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim”.

Por fim, ó mãe bela, doce e terna, como filho confiante na tua união com teu amado Jesus, peço a graça…. (pedido pessoal), sabendo que serei atendido conforme a vontade do Pai, que me ama e sabe o que é melhor para mim. Amém.

Pai nosso…

Ave-Maria…

 

Reze conosco os dias da novena: