Novena à Virgem da Ternura – 4º dia

Natividade de Jesus

Oração de invocação ao Espírito Santo

Vinde, Espírito Santo, vinde, por meio da poderosa intercessão do Imaculado coração de Maria,
vossa amadíssima esposa.

Leitura – Lucas 2,1-20

O Nascimento de Jesus — 1”Naqueles dias, apareceu um edito de César Augusto, ordenando o recenseamento de todo o mundo habitado. 2Esse recenseamento foi o primeiro enquanto Quirino era governador da Síria. 3E todos iam se alistar, cada um na própria cidade. 4Também José subiu da cidade de Nazaré, na Galiléia, para a Judéia, na cidade de Davi, chamada Belém, por ser da casa e da família de Davi,5para se inscrever com Maria, sua mulher, que estava grávida. 6Enquanto lá estavam, completaram-se os dias para o parto, 7e ela deu à luz o seu filho primogênito, envolveu-o com faixas e reclinou-o numa manjedoura, porque não havia um lugar para eles na sala. 8Na mesma região havia uns pastores que estavam nos campos e que durante as vigílias da noite montavam guarda a seu rebanho. 9O Anjo do Senhor apareceu-lhes e a glória do Senhor envolveu-os de luz; e ficaram tomados de grande temor. 10O anjo, porém, disse-lhes: “Não temais! Eis que eu vos anuncio uma grande alegria, que será para todo o povo: 11Nasceu-vos hoje um Salvador, que é o Cristo-Senhor, na cidade de Davi. 12Isto vos servirá de sinal: encontrareis um recém-nascido envolto em faixas deitado numa manjedoura”. 13E de repente juntou-se ao anjo uma multidão do exército celeste a louvar a Deus dizendo:14“Glória a Deus no mais alto dos céus e paz na terra aos homens que ele ama!”15Quando os anjos os deixaram, em direção ao céu, os pastores disseram entre si: “Vamos já a Belém e vejamos o que aconteceu, o que o Senhor nos deu a conhecer”. 16Foram então às pressas, e encontraram Maria, José e o recém-nascido deitado na manjedoura. 17Vendo-o, contaram o que lhes fora dito a respeito do menino; 18e todos os que os ouviam ficavam maravilhados com as palavras dos pastores. 19Maria, contudo, conservava cuidadosamente todos esses acontecimentos e os meditava em seu coração.20E os pastores voltaram, glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham visto e ouvido, conforme lhes fora dito”.

Meditação

O mistério da Encarnação – quando Deus se faz homem na pessoa de Jesus – nos possibilita desenvolver um caminho de oração e de amizade com Cristo, porque a amizade só é possível entre iguais. Assim, quando Jesus assume nossa humanidade, precisando aprender a andar, a falar e expressar os movimentos do seu coração humano, possibilita-nos uma verdadeira amizade com Ele. Por isso, podemos hoje dialogar com Deus. Jesus ter assumido a nossa humanidade, nascido, se alimentado, chorado, sofrido, se alegrado e morrido, abre-nos a uma nova e grandiosa perspectiva no nosso relacionamento com Deus.

Nossa oração torna-se, assim, um relacionamento com alguém que experimentou a realidade humana, experiência essa feita no que é belo, mas também no que é desafiante e doloroso, possibilitando um grau de partilha e intimidade com Deus nunca antes imaginado por um ser humano.

(se a novena for feita pessoalmente, faça um momento de silêncio para meditar; se for feita em grupo, é o momento para a partilha).

Oração do dia:

Ó Virgem da Ternura, tu que levaste Jesus no teu ventre por nove meses, o carregaste tantas vezes no colo e o amamentaste, ajuda-nos a desenvolver uma oração de autêntica amizade com o teu Filho, para que, no encontro diário com Ele, nossa vida seja transfigurada. Amém.

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo…

 

Consagração à Virgem da Ternura

Consagro-me a ti, ó Virgem da Ternura, tu que és a amada filha de Deus Pai, obediente esposa do Espírito Santo e mãe amorosa de Jesus. A tua íntima relação com a Trindade santa te transfigurou num grau de beleza, doçura e ternura jamais alcançados por nenhuma outra criatura do céu ou da terra.

Ó Virgem da Ternura, tu que és bela, atrai meus sentidos, afetos e faculdades para Jesus para que assim eu possa conhecê-Lo como “Caminho, Verdade e Vida”.

Ó Virgem da Ternura, tu que foste plenamente dócil a Deus, ensina-me o caminho da obediência ao teu Filho Jesus, para que eu possa dizer como São Pedro: “a quem iremos, só tu tens palavras de vida eterna”.

Ó Virgem da Ternura, tu que, ao conviver íntima e profundamente com teu Filho Jesus, te tornaste toda terna, ensina-me o caminho da intimidade com Ele, para que eu também possa dizer como São Paulo: “já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim”.

Por fim, ó mãe bela, doce e terna, como filho confiante na tua união com teu amado Jesus, peço a graça…. (pedido pessoal), sabendo que serei atendido conforme a vontade do Pai, que me ama e sabe o que é melhor para mim. Amém.

Pai nosso…

Ave-Maria…

 

Reze conosco os dias da novena: